Arq. José Duarte Centeno Gorjão Jorge (FA-UTL)

O Crepúsculo da Universidade
sinopse
As questões que se poderão levantar, com alguma utilidade, relativamente à investigação em Aquitectura (e, já agora, a propósito da novíssima modalidade de Doutoramento baseada na obra artística dos candidatos) colocar-se-ão certamente com mais interesse no próprio plano institucional. Porquê? Porque é a Universidade que, através da formação que fornece e do tipo de investigação que, por seu intermédio, se vê consagrada em todos os domínios, disponibiliza um saber especifico, o único aliás, que se vê sempre legitimado em todos graus do ensino e que, portanto, é universalmente aceite.
Mas estará a Universidade, como instituição, habilitada ainda para gerir todo o processo de geração desse conhecimento? Depois de Bolonha, sobretudo, conseguirá esta instituição manter o carácter que herdou da Idade Média e que até há pouco tempo conseguiu conservar quase incólume? Que tipo de desafios, que alterações nos seus critérios de valoração, nos objectivos e no método para alcançar esses objectivos, que espírito e que garantias de real independência se manifestam hoje na Universidade?
As questões da investigação e do conhecimento, comprometidas com o pensamento que a sociedade aceita como conhecimento positivo, tornaram a Universidade num instrumento ideológico finalmente com consciência de si mesmo, sob a tutela daqueles que representam o poder nas suas versões mais agressivamente economicistas.
Resistirá o conceito de “universitas” a tal, por assim dizer, alargamento ou desvio semântico?  

Sem comentários:

Publicar um comentário